Fãs homenageiam Luiz Gonzaga durante missa com direito a baião na Bahia

Um grupo de fãs homenageou o cantor e compositor Luiz Gonzaga durante uma missa, na manhã desta segunda-feira (7), na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador. A cerimônia foi realizada na Igreja Senhor dos Passos, no centro do município, e foi presidida por um padre que também é fã do artista.

“Celebrar a missa em homenagem a Luiz Gonzaga, lembrando a memória de alguém que trouxe toda a realidade da história do povo nordestino, é sempre motivo de alegria, porque não se deixa a cultura morrer”, contou o padre Wilson Marques.

Conhecido como “Rei do Baião”, Luiz Gonzaga não poderia ser homenageado sem o som de, ao menos, uma sanfona. Por isso, um grupo de músicos deu início à cerimônia ao entrar na igreja tocando o baião, ritmo tradicional na cultura nordestina. Além disso, discos de Luiz Gonzaga, instrumentos musicais, chapéus e pinturas se tornaram decoração no altar da igreja. A missa ocorre há anos na cidade.

“Sempre participo. Eu adoro. Sou fã. Gosto muito do forró, do baião. Desde pequena que eu acompanho”, contou a aposentada Mírian Silva.

Apesar de nascer na cidade de Exu, em Pernambuco, Luiz Gonzaga é muito querido em Feira de Santana. Segundo os fãs mais antigos, que acompanham o cantor desde quando ele estava vivo, Gonzaga fez diversos shows no município e era tão próximo da população que, em 1984, recebeu o titulo de cidadão feirense. O cantor morreu no dia 2 de agosto de 1989, há 28 anos.

Entre os moradores de Feira de Santana que tiveram a honra de conhecer Gonzaga está o compositor Jurandir, que teve quatro músicas gravadas pelo cantor. Segundo Jurandir, a proximidade com Gonzaga era tanta que o cantor o apelidou de Jurandir da Feira.

“Foi um cara que levou a nossa história, a nossa música, para todo o país, para todo o mundo. O Gonzaga é uma grande referência hoje. É imortal, eu diria. Porque é um grande nome. Tem que ser sempre lembrando pelos Gonzaguianos, pessoas que conheceram Gonzaga, que acompanham a história do Gonzaga. Uma história rica e louvada por todos”, falou o compositor Jurandir da Feira.

SHARE